Sign In

   

Mercado de venture capital sobe 18%

7Nov2017Nov7,2017
Societário/M&A
DCI

​Da redação

São Paulo - Os investimentos de venture capital no Brasil subiram 18% em outubro ante igual período de 2016, com 13 operações registradas no período. O resultado é do Relatório Mensal do Transactional Track Record, em parceria com a LexisNexis e TozziniFreire Advogados

Destas operações, cinco tiveram seus valores revelados, somando um total de R$ 139 milhões investidos, um salto de 470% ante igual período de 2016. Já no cenário de private equity foram contabilizadas 69 operações, das quais 31 tiveram valores revelados que somam R$ 17,2 bilhões, alta de 27% sobre o volume do mesmo período de 2016.

Com relação ao mercado de M&A (do inglês, Mergers & Aquisitions) foram registradas 64 transações no mês, retração de 27,27% em relação ao mesmo intervalo de 2016. Destas, 29 operações revelaram valores que ultrapassam a casa dos R$ 10,1 bilhões, queda de 46,74% no período. Outubro foi o mês com menor número de transações no ano.

Já no cenário da América Latina, o protagonismo brasileiro permanece. O mercado brasileiro de M&A registrou o maior número de fusões e aquisições nos dez meses corridos no ano na região. Segundo dados do TTR, foram 593 transações domésticas no País - enquanto Chile, segundo colocado no ranking, registrou 89, seguido por Argentina, com 83.

O país contabilizou ainda 187 aquisições cross-border inbound, mais que o dobro do México, que fechou o período com 70 operações.

Operações cross-border

Os investimentos das empresas norte-americanas voltaram a ter saldo positivo. Desde o início de 2017, foram 69 operações (+6,15%, com investimento superior a R$ 15,8 bilhões).

Investimentos provenientes da China aparecem na sequência, totalizando R$ 11,5 bilhões, seguido por Austrália, com a aplicação de R$ 7,2 bilhões no mercado brasileiro.

Em relação à transações TTR, o líder de assessores financeiros por valores de transações é do Bradesco BBI, que acumulou em 2017 o valor de R$ 17,7 bilhões. Em segundo lugar aparece o Banco BTG Pactual, com R$ 16,4 bilhões, e, na sequência, o Banco Itau BBA, com R$ 15,7 bilhões.

O ranking de assessores jurídicos é liderado por Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados, R$ 36,7 bilhões, que também lidera por número de operações (50).

Ver notícias do escritório