Sign In

   

Grandes empresas criam projetos de ação social em programa de aceleração

4Abr2017Apr4,2017
Folha de S.Paulo

DE SÃO PAULO

Mesmo as grande empresas, como Ambev, precisam de auxílio na hora de desenvolver seus negócios sociais. No ano passado, o programa Yunus Corporate Action Tank foi lançado no Brasil justamente com esse propósito.

A Ambev foi a primeira a sair com um projeto. A água AMA foi lançada em fevereiro e já está à venda online e nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Até o final do ano deve chegar a todo o país.

O programa da Yunus teve duração de um ano e foi encerrado no mês passado. Nos primeiros 3 meses, cada empresa enviou 2 ou 3 representantes para participarem de módulos de capacitação.

Participaram, além da Ambev, Randstad, Cosan, Santa Marcelina, Mattos Filho e Bank of America – este último como apoiador.

Os 9 meses seguintes do programa ocorreram dentro de cada empresa. Nesse período foi estudado a viabilidade financeira dos protótipos desenvolvidos na fase anterior, além de um plano de implementação. Apesar disso, as empresas não tinham obrigação de colocar os seus negócios em prática.

O objetivo de um negócio social é resolver um problema social e seu lucro é reinvestido na própria empresa. A Yunus Negócios Sociais Brasil, que criou o programa, esperava sair com pelo menos 2 cases reais fossem colocados em prática.

Todo o lucro obtido com a marca AMA será reinvestido em projetos sociais que tenham por objetivo combater a escassez de água no semiárido.

Para não ficar só na promessa, a Ambev já doou recursos para apoiar três dessas iniciativas, todas no Estado do Ceará. Serão atendidas comunidades nas cidades de Capistrano, Jaguaruana e Aiuaba, onde estão sendo construídos poços para levar água encanada à população.

"É a primeira vez que 100% do lucro de um lançamento [da Ambev] será reinvestido em prol da resolução de um problema social", afirma Evelin Giometti, gestora da área Corporativa da Yunus Negócios Sociais. "Trata-se de uma mudança de olhar do foco do negócio."

Ela explica que outros projetos ainda estão em fase de desenvolvimento pelas empresas e por isso ainda não podem ser divulgados. A versão 2017 do programa terá início em maio e vai até outubro. "De fevereiro a abril, vamos prospectar outras empresas interessadas para participar" explica Evelin.

"As empresas são os grandes players do nosso sistema econômico, tendo um papel decisivo na construção de nosso mundo e de cenários socioambientais. Queremos despertar as empresas para seu potencial de criar valor para a sociedade de uma forma ativa e integrada ao seu negócio."

Para a Yunus, esse é o pensamento chave para a resolução dos problemas sociais de maneira impactante e sustentável. A organização foi criada por Muhammad Yunus, agraciado com o Nobel da Paz em 2006. Natural de Bangladesh, ele é uma figura internacionalmente reconhecida pelos esforços na redução das desigualdades em seu país, onde fundou o banco Grameen, pioneiro em iniciativas de microcrédito.

O programa de incentivo a grandes empresas já havia sido lançado primeiramente na França e agora está sendo desenvolvido também na Índia.
Ver notícias do escritório